Avaliação / Evaluación de Programas na Amazônia

Intercâmbio de Conhecimentos - Colaboração - Aprendizagem

  • Este website vem possibilitar a divulgação de trabalhos acadêmicos e práticos. Está aberto a contribuições em português, espanhol ou inglês.

Para acessar ou contribuir documentos, copiar este link no seu browser: https://www.dropbox.com/sh/4b5zk60xlpce5lf/AAD7FNZVeSNn-S5NRTB6qDPwa?dl=0

Para saber mais sobre meu livro, Produzindo Impacto Social: Elaborando e Avaliando Projetos de Desenvolvimento, mande um email para bobkwalker@gmail.com.

De Que se Trata?

Que são avaliação e monitoramento? Diferente de muita pesquisa acadêmica, eles procuram principalmente promover melhorias sociais, ambientais e de aprendizagem. No entanto, diferenças profissionais e linguísticas às vezes atrapalham a conceituação.

Vamos começar com algumas definições dadas pela Agência de Desenvolvimento dos Estados Unidos:

“Avaliação na Usaid se define como a coleta e análise sistemáticas de informações sobre as características e os resultados de programas e projetos, como base para julgamentos para melhorar a efetividade e/ou informar as decisões sobre a programação atual e futura.

A avaliação difere do assessment.  Este pode visar examinar o contexto do país ou do setor, como insumo para o planejamento de projetos, ou uma análise informal de projetos. Também se distingue do monitoramento de desempenho, que é um processo contínuo que indica se os resultados desejados estão ocorrendo e se os Objetivos de Desenvolvimento e os efeitos esperados do projeto estão progredindo satisfatoriamente. 

Por outro lado, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) afirma em Biodiversidade e Monitoramento Ambiental Integrado que “Os principais usos do monitoramento da biodiversidade para os tomadores de decisões políticas envolvem avaliar a complementariedade, prever as ocorrências de espécies em áreas que não foram amostradas e avaliar os prováveis impactos das ações humanas”.

Fica evidente que o “monitoramento da biodiversidade” e a avaliação de “complementariedade” e dos “prováveis impactos das ações humanas” se assemelham mais à pesquisa científica aplicada e ao assessment que à avaliação de programas e projetos ou ao monitoramento de desempenho. Eles também representam “avaliação para tomada de decisões”, sem se situarem diretamente no processo de gestão ou no “ciclo de programa” (da Usaid, por exemplo), junto com a Política e as Estratégias da Agência, as Estratégias de Cooperação para o Desenvolvimento do País, o Planejamento e Implementação de Projetos, e “Avaliação e Monitoramento”.

Can’t see the forest for the trees?” Vejamos ambos: a floresta e as árvores!

Para participar, podendo contribuir artigos, receber newsletters e postar no blog www.avaliacaoamazonia.com/intercambio, favor se inscrever.